Turismo - Descrição

Teatro Guarany

Teatro Guarany

Localização: Rua Lobo da Costa, 849
Funcionamento: O teatro é aberto somente quando há apresentações artístico-culturais ou com agendamento para eventos.
Telefones para informações: (53) 225 7636

Um pouco da história
Construção : 1920/1921. 

Projeto de Stanislau Szarfarki. Francisco Vieira Xavier, Francisco Santos e Rosauro Zambrano contrataram, no ano de 1920, o empreiteiro Paulino Rodrigues para a construção deste teatro. Durante a obra houve uma mudança de construtor, passando os trabalhos para a responsabilidade da firma Rodrigues & Cia. 

Sua capacidade, somando camarotes e platéia, é de aproximadamente 1500 lugares. Possui mais 900 lugares na "geral" e 25 camarins para artistas. 

A grande volumetria do prédio tem na sua fachada figuras e alegorias com motivos indígenas na platibanda vazada e acesso marcado por avanço volumétrico formando um terraço e marquise com linhas sinuosas do estilo Art-Nouveau em ferro e vidro. Apresenta dois terraços laterais com colunas e pilastras dóricas que abrem portas para o "foyer", para recreio dos ocupantes dos camarotes.

Internamente as pinturas do teto originais são de Willy Schmidt e Joaquim Lamas Filho. As escadarias, com balaustradas de ferro trabalhado em renda, e degraus de mármore acessam à primeira e segunda ordens de camarotes. Seus materiais vieram de diversos pontos do país e do exterior: a cúpula metálica do teto e mobília do salão e secretaria são de Buenos Aires; a marquise e gradis vieram da Fundição Indígena (RJ); os mármores e o pano de honra do teatro, da Itália; a mobília da platéia e camarotes, de Porto Alegre; as guarnições de veludo rouge dos parapeitos dos camarotes e cortinas, da Colchoaria Pelotense; as esculturas em mármore foram executadas por Angelo Giusti. 

    Foi inaugurado no dia 30 de abril de 1921 com a apresentação da ópera "O Guarany" de Carlos Gomes, a cargo da Companhia Lírica Italiana Maranti . A data de 1920, estampada no tímpano do frontão, comemora os 50 anos da estréia desta ópera no Teatro Scala de Milão. Durante a década de 70, sofreu grande reforma: reduziram o pé direito da platéia com um forro que escondeu as pinturas do teto, perdendo-se assim o "Paraíso". Atualmente, o Teatro Guarany segue como casa de espetáculos e local de atos solenes, com destaque para cerimônias de formatura.